Emagrecimento

Dominando e Mudando Percepções Alimentares Permanentemente

Você já deve ter passado por isso ou no mínimo conhece alguém que já compartilhou este entrave com você. Aquela pessoa vive de dieta, até se esforça, faz exercícios, vai a um nutricionista, mas aí passa semanas, meses ou até anos e não muda absolutamente nada, não é mesmo?!

A verdade é que as pessoas associam o ato de emagrecer com um estado de espírito ou de seja lá o que for, mas que geralmente necessita de algum esforço inicial até atingir um objetivo pré-estabelecido.

O problema se encontra exatamente aí, a palavra “até”. É bom parar e refletir: Por que até? É comum pessoas conseguirem alcançar o peso almejado e ouvir dos amigos: “Parabéns Fulano, mas sabe que manter o peso é a pior parte né?!”.

A Origem das ações comportamentais

Quando se pensa a curto prazo, seja uma necessidade de emagrecer para algum evento, caber numa roupa ou até dar a volta por cima de algum ex relacionamento, na maioria dos casos a pessoa não quer mudar um mindset pré configurado para alimentação, essa pessoa só quer emagrecer.

não emagrece

São nesses casos que se experimenta qualquer dieta que se encontra na internet e que, por mais que estas funcionem, jamais emagrecerá e permanecerá magra pelo resto da vida porque os quilinhos voltam mais cedo ou mais tarde.

O problema é que a grande parte das pessoas age por dois motivos: ou se sentem amedrontadas com o que algumas dores atuais as podem trazer e por isso agem motivadas a evitar tais desconfortos ou o que é menos frequente, agem para seguir uma convicção de prazer.

A exemplo está o nosso personagem fictício que espalhou a todos os conhecidos que de hoje em diante vai perder aqueles quilinhos extras que adquiriu. Na primeira semana enfrenta com vigor toda as tentações que diariamente cai em sua frente, mas provavelmente em um mês no máximo deixará sua dieta de lado e voltará ao padrão de alimentação antes exercido.

Porque isso acontece? Ora, claramente não houve uma mudança de mindset. É preciso muito mais que força de vontade, é preciso conhecer como funciona seu cérebro para só depois começar uma dieta.

Especialistas em Neurolinguística afirmam que experiências negativas, reais ou imaginárias tem uma força tremenda para formarmos um modelo de pensamento sobre determinadas coisas, e que praticamente tudo o que fazemos são movidas por essas percepções adquiridas com o passar do tempo.

Percepções de Prazeres e Dores São Manipuláveis Ao Nosso Favor

Mas a melhor das notícias é que não criamos verdades dentro de nossos cérebros, e sim percepções de verdades. Essas percepções podem ser manipuladas por nós mesmos se soubermos fazer.

É totalmente possível por exemplo, assimilar dores muito mais “pesadas” ao ato de comer frituras e simultaneamente atribuir muito mais prazer na privação de alimentos gordurosos a ponto de ser mais vantajoso seguir ininterruptamente nosso novo plano alimentar pelo resto das nossas vidas.

Porém, para alcançarmos a maioria das coisas que prezamos, é precisamos romper a muralha da dor a curto prazo, a fim de alcançar o prazer a longo prazo.

Você deve esquecer os momentos breves de dores e tentações e focar no que é mais importante a longo prazo, ou seja: seus valores e padrões pessoais.

O que Realmente Nos Impulsiona

É bom lembrar que não é a dor em si que nos impulsiona, na verdade é o medo de que algo leve à dor, assim como não é o prazer em si que nos impulsiona, mas sim a convicção de que agindo de determinada maneira, alcançaremos o prazer.

Não somos impulsionados pela realidade, mas sim por nossa percepção da realidade.

A maioria das pessoas se concentra em evitar a dor e alcançar o prazer a curto prazo, e assim acaba criando a dor a longo prazo.

De certa forma, essa pessoa idealiza um conjunto de excelentes motivos para perder gordura: vai se sentir mais saudável e mais disposta; caberá melhor nas roupas; se sentirá mais confiante no convívio com as pessoas do sexo oposto.

Porém, do outro lado, também existem muitas razões para não emagrecer: teria de fazer uma dieta; sentiria uma fome não antes experimentada; se negaria o impulso para comer alimentos que engordam; e, sem contar com a vontade de adiar, como sempre, para depois.

O Adiamento dos Prazeres  A Longo Prazo Como Padrão

Quando confrontadas de tal forma, várias pessoas tendem a escolher o padrão de adiar as coisas, ou seja, aquele prazer potencial de um corpo mais bonito e saudável é mais uma vez superado pela dor a curto prazo das privações alimentares.

Desta forma, a nossa mente dribla nossas vontades apontando o ato de comer frituras (por exemplo) como solução para a dor a curto prazo que sentimos quando queremos a conquista  de longo prazo que é emagrecer e permanecer magro, o único problema é que isto não nos faz bem e nós tentamos nos enganar.

Adiar dieta

A longo prazo, vamos nos sentir cada vez pior, para não mencionar o fato de que isso causa uma deterioração em nossa saúde.

Lembre-se: qualquer coisa valiosa que você deseje sempre exige uma passagem pela dor a curto prazo, a fim de alcançar o prazer a longo prazo.

Se você quer ter um corpo sensacional, precisa esculpir esse corpo, o que exige passar pela dor a curto prazo. Depois que fizer isso muitas vezes, o exercício se torna agradável. A dieta funciona da mesma maneira.

Qualquer tipo de disciplina exige a passagem pela dor: disciplina no trabalho, relacionamentos, confiança pessoal, aptidão física e finanças. Como passar pelo desconforto e adquirir o ímpeto para alcançar seus objetivos? Comece por tomar a decisão de superá-lo.

Emagrecer começa na Mente

Podemos sempre decidir superar a dor do momento, e melhor ainda a acompanhar com um condicionamento pessoal. Este condicionamento está associado a percepção de que o EMAGRECIMENTO COMEÇA NA MENTE E NÃO NO ESTÔMAGO!

Isso precisa ficar muito claro para você: as soluções definitivas precisam vir do seu mundo interior e fluir para o seu mundo exterior! Precisamos ajustar nosso mindset alimentar.

Precisamos compreender primeiramente que a perda de peso começa no cérebro e não no estômago, necessitamos antes de mais nada, desenvolver nosso PODER DE DECISIVO sobre as coisas.

Tomar decisao

Quem Quer Solucionar Algo, Age de Imediato

Como diria o Personal Trainer Bruno Cabrera: “Ações comportamentais! Transformações práticas e não ideológicas. Informação sem ação, é mera teoria; informação colocada em prática, é sabedoria! Ninguém aprende a nadar lendo livros, ninguém aprende a cozinhar assistindo vídeos e ninguém emagrece pensando!”

Mude de Hábito A Partir de Agora!

já deve ter ouvido falar que um novo hábito se adquiria num processo repetitivo diário em 21 dias, correto?

Estudiosos descobriram que este tempo de adaptação e criação de hábito foi expandido para 66 dias, então isso quer dizer que, quanto mais fiel aos novos costumes alguém se portar durante 66 dias, mais adaptada à mudança estará pelo resto de sua vida.

Que tal se lançar neste desafio para poucos e começar a mudar hábitos alimentares permanentemente? Você pode saber mais clicando aqui.

Avaliar Postagem: